DENGUE

13/08/18 - Pinda diminui densidade larvária do Aedes aegypti para 0.2
13/08/2018 - 14h05

Avaliação na cidade aponta índice de tranquilidade momentânea para o mosquito

 

A Prefeitura de Pindamonhangaba, por meio do Departamento de Proteção aos Riscos e Agravos a Saúde, setor de Controle de Vetores, revelou o índice de 0.2 com a avaliação de Densidade Larvaria (ADL) realizada em julho deste ano.

Em janeiro de 2018, a Avaliação registrou o aumento de 307% no número de Densidade Larvária do mosquito Aedes aegypti na região central da cidade. "Onde havia uma média de 1,6 criadouros foi encontrado 6,5 - número considerado muito elevado pelo Ministério da Saúde, e que indica sinal de alerta e risco de epidemia", explicou o diretor do Departamento de Proteção aos Riscos e Agravos à Saúde, Rafael Lamana.

Com esforços dos agentes do Controle de Vetores, a participação popular e trabalho de conscientização voltada principalmente às crianças, foram realizadas 107 apresentações de esquetes com o tema “Todos juntos contra o Aedes aegypti”, abrangendo a rede pública municipal de ensino e o Parque da Cidade.

O programa foi capaz de reduzir o índice para 1,7 em abril e agora para 0,2 em julho deste ano, representando índice de tranquilidade para o Ministério da Saúde. As apresentações teatrais foram uma parceria entre a Secretaria de Saúde, Educação e Cultura mostrando que a parceria entre todos é o melhor caminho para combater o mosquito Aedes aegypti. 

“Esta é uma ação que depende mais de cada cidadão do que do poder público, pois os principais criadouros do Aedes estão dentro das casas e nos quintais, haja vista os números encontrados de larvas: 1º em vasos de plantas, 2º em materiais inservíveis nos quintais, 3º em ralos, 4º em reservatórios de água e 5º em bromélias”, destacou Lamana.

A equipe de Controle de Vetores da Secretaria de Saúde da Prefeitura visita todas as regiões da cidade durante o ano, em quatro períodos (janeiro, abril, julho e outubro), para fazer o controle e conscientizar a população sobre as formas de acabar com os criadouros do mosquito transmissor da dengue, chikungunya,  zika vírus e febre amarela. A cidade luta contra o Aedes aegypti constantemente.

Outras Matérias
Adote Adote

ACESSO RÁPIDO